02 setembro 2013

Resenha: Estilhaça-me

Estamos em uma fase em que as distopias vem dominando o mercado literário. Eu já li duas distopias: Jogos Vorazes e A seleção, que são bem distintas uma da outra, e não havia me interessado por nenhuma outra a ponto de querer lê-la imediatamente. Mas devido a um empréstimo literário eu me vi com uma distopia  nas mãos, tenho que confessar que tive um pouco de receio, porém acabei lendo o livro de Tahereh Mafi, e fiquei viciada na estória de "Estilhaça-me".



Sinopse:"Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro."

A diagramação desse livro é muito boa, a capa é muito bonita (mesmo que particularmente eu não goste de capas com pessoas), gosto também do começo dos capítulos ter um efeito de vidro estilhaçado. O tamanho da letra também é muito bom.

A escrita de Tahereh Mafi é bem diferente do que eu estou acostumada. A estória é narrada em primeira pessoa, pela personagem Juliette, e ela gosta de usar metáforas para descrever sensações e sentimentos (preciso confessar que tinha hora que me irritava bastante). Acho que o maior problema sobre o livro ser escrito em primeira pessoa é a narradora ser Juliette, porque ela é extremamente dramática, então tudo é muito exagerado.

O enredo de "Estilhaça-me" segue a receita distópica: mocinha que tem nas mãos a oportunidade de mudar, país que vive um governo ditatorial e cruel, jovem bonito que se apaixona loucamente pela mocinha e que faz de tudo para salvá-la e o terceiro membro de um triângulo amoroso, que parece ser algo que não é. Eu sei que esse modelo já está muito repetitivo, mas tem alguma coisa nesse livro que o diferencia dos outros.

Os personagens de Tahereh são muito intensos, acho que esse é o ponto forte de sua escrita, eles possuem características muito fortes e tem os sentimentos à flor da pele. Na minha opinião o melhor personagem da estória é o vilão Warner, não por ser o esteriótipo de vilão, mas por ter uma complexidade que o torna uma incógnita  acho tão incrível a maneira como a autora conseguiu criar alguém tão obcecado quanto ele, espero de verdade que ele ganhe mais espaço no enredo (estou torcendo para ele ficar com Juliette) e que ele se torne a grande surpresa dessa distopia.

Gostei do livro e com certeza vou ler sua continuação, principalmente para saber o que irá acontecer com o Warner. Espero que a autora leve a estória para um campo em que não só romance prevalece, mas a questão política também esteja em evidência. 


Boa Leitura!
Até o Próximo Post!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo