Resenha: Verity

19.5.20

Verity é uma autora de sucesso com uma série de livros best-seller, mas devido a um acidente está impossibilitada de continuar a escrever. Para que a série seja terminada, Lowen, uma autora pouco conhecida, é convidada para escrever no lugar de Verity. Para desempenhar essa tarefa, a escritora vai até a casa de Verity em busca de anotações sobre os livros, porém ela acaba encontrando um manuscrito de uma autobiografia.

“Verity” é o primeiro thriller da Colleen Hoover e a autora afirma que é também seu livro mais obscuro. Apesar de termos alguns pontos já conhecidos da escrita da autora presentes nesse novo livro, essa obra é totalmente diferente do que ela já escreveu. O livro não é um romance jovem adulto, apesar de ter um envolvimento amoroso, é sim, uma história de suspense adulta, que aborda temas delicados que podem afetar pessoas sensíveis e repleto de cenas de sexo (então fica o aviso para quem quiser ler).

A maneira como Colleen Hoover narra essa história é fantástica, parecia que eu estava assistindo a um filme, os momentos de tensão me deixaram apreensiva me assustei lendo o livro.

A obra não é perfeita, tem diversos pontos  que eu acho que faltaram ser bem construídos e amarrados, em diversos momentos coisas foram apontadas, mas ela não utilizou disso para concluir a história, deixando aquilo apenas como algo para gerar desconfiança.

O livro não é uma história bonitinha, todos os personagens tem vidas complicadas, marcadas por relações abusivas e de total dependência. Lowen passou os últimos meses cuidando de uma mãe doente, que a deixou cheia de dívidas e sem opções. Verity aos poucos vai ser mostrando uma mulher dissimulada e ciumenta. E Jeremy apesar de passar a imagem de bom moço, não é tão certinho assim.

Ler “Verity” foi vicioso, eu devorava as páginas para descobrir quem era a Verity e o que Jeremy e Lowen fariam. Me surpreendi com as revelações da história e surtei com o final. Final esse que gera diversas teorias e que eu acredito ser interpretativo. Eu como uma boa leitora, sempre vou desconfiar dos narradores personagens, afinal, quem conta sua própria história pode muito bem falar o que você quer ouvir. Além disso, nenhum dos personagens desse livro me convenceu, todos me passaram impressões ruins e tiveram atitudes que me fizeram desconfiar.

“Verity” não vai agradar a todo mundo, por ser uma história feia (bem mais feia que O Lado Feio do Amor), por ser totalmente diferente das histórias contadas pela Colleen Hoover (apesar de autora sempre explorar temas pesados) e por ser uma história que incomoda. Eu gostei muito do livro, acho que por ser o primeiro thriller da autora, ela foi muito bem. E volto a afirmar que não é um livro pra qualquer um, contém diversos pontos que algumas pessoas podem enxergar como gatilhos e eu acredito ser melhor evitar a leitura. Agora se você é fã de um thriller psicológico e não tem problemas em ler sobre a maldade e perversão do ser humano, esse livro é um prato cheio.

Até o próximo post!




2 comentários:

  1. Essa litura dividiu bastante os leitores, vi quem amou muito e quem odiou. Confesso que tô cada vez mais curiosa kk

    https://www.submersaempalavras.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu, particularmente, gostei muito.

    ResponderExcluir

Agora que sou crítica - Design e Desenvolvilmento por Lariz Santana