20 março 2013

Resenha: Quem é você Alasca?

Eu tenho a péssima mania de acreditar que quando um autor escreve um livro MARAVILHOSO todos os seus outros livros também serão assim. E foi com esse pensamento que resolvi ler "Quem é você Alasca?" do John Green, isso porque ele escreveu um dos livros mais incríveis que eu já li: "A culpa é das estrelas". Decidi que queria ler tudo que ele escrevesse, porque tinha certeza de que seria perfeito, mas eu não poderia estar mais enganada.



Sinopse: "Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras — e está cansado de sua vidinha segura e sem graça em casa. Vai para uma nova escola à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o “Grande Talvez”. Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young. Inteligente, engraçada, problemática e extremamente sensual, Alasca levará Miles para o seu labirinto e o catapultará em direção ao Grande Talvez." 

Não procurei saber do que se tratava o livro "Quem é você Alasca?", eu só meti na cabeça de que precisava lê-lo. Então depois de o tê-lo em mãos é que fui ler a sinopse do livro, quando terminei de lê-la imaginei que a estória fosse parecida com "As vantagens de ser invisível" e me animei mais ainda em começar a leitura. 

Como era de se esperar de John Green temos um livro fácil de se ler, com uma linguagem informal, com gírias e palavrões. Mas muito bem escrito, é inegável que o autor é muito inteligente e gosta de demonstrar isso através de seus personagens, que tal qual a seu criador são inteligentissímos, beirando ao nerdismo. Porém alguma coisa faltou a esses personagens, eles não são tão encantadores quanto Hazel Grace e Augustus Waters, são pedantes e um pouco esnobes, sempre se achando superiores aos coadjuvantes, algo que me irritou bastante. A estória "tenta" ser triste, mas não me comoveu, acredito que isso aconteceu devido a minha falta de simpatia com os personagens.

Alasca, a megera. 



A minha grande implicância com essa obra de John Green é devido a antipatia que tenho pela personagem principal: Alasca Young. Que garota insuportável! Ela quer todos a amando e a indolatrando. Ajuda os amigos, mas essa bondade não me convence, acho que ela só quer provar que eles precisam dela. Além disso tem a questão de ela ser bipolar, ao mesmo tempo que está bem, ela está chorando e pisando nos outros, é muito maluca! E mesmo tendo seus problemas pessoais, acho que suas atitudes não são justificaveis, e ela nem mesmo tem um tumor no cérebro para mudar sua personalidade, ela é uma megera, sem fazer esforço.

Todos esses motivos que citei acima me fizeram achar o livro do John Green bom, mas só porque ele escreve bem, já que estória em si não me tocou. Posso dizer que fiquei um pouco decepcionada, porque acreditava que finalmente tinha encontrado o autor que me faria amar tudo que escreve, por isso em alguns momentos eu me esforçava para gostar do livro, só pelo simples fato de ser escrito pelo Sr. Green, mas não foi dessa vez. Espero ansiosamente o próximo livro do autor "Teorema de Katherine" que pode fazer com que essa impressão ruim seja apagada.

Tenha uma boa leitura!
Até o próximo post!



37 comentários:

  1. Entendo sua critica, mas se espera personagens perfeitos, volte a ler os livros do Sparks. Ainda não entendo o porque da enfase na obra "A Culpa É Das Estrelas". Não é tudo isso que dizem, em minha opinião é sentimental demais. Ainda não li 'Quem é você, Alasca?", mas depois da sua critica quero lê-lo. John Green esta trazendo algo novo, atual e jovem, não personagens principais perfeito, meigos e apaixonantes. A Hazel era uma Srª. Egoísta e o Augusto era um Sr. não tenho uma perna, mas sou perfeito. Serio, prefiro encarar cada personagem como ele realmente é. Só falta esse livro do John Green pra eu terminar as obras dele e estou ansioso para lê-lo. Obrigado pela critica e como critica, te peço pra abrir a mente pra pessoas de verdade em obras primas.
    Uma opinião: Leia Will&Will :3
    Atenciosamente, Rafaael.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rafael,
      Muito obrigada pelo comentário. Acho um dos motivos de não ter gostado tanto do livro foi por não me tocar, e “Quem é você Alasca” não me conquistou. Já “A culpa é das estrelas”, me marcou muito e é meu livro preferido.
      Gosto de personagens imperfeitos, mas sou daquelas que precisam se envolver para gostar deles, e isso não aconteceu. Os personagens do John Green tendem a seguir um padrão, já li todos os livros dele, inclusive Will&Will, e já percebi isso, não que isso seja um problema.
      Muita gente não concorda comigo sobre Alasca, principalmente aquelas que não gostaram tanto de “A culpa é das estrelas”, tenho uma teoria: Quem gosta de Alasca Young nunca gostará de Hazel Grace, e vice-versa. Leia o livro e tire suas próprias conclusões, tal como eu fiz.
      OBS: Odeio Nicolas Sparks!

      Excluir
    2. É, nunca chegaremos a um consenso, livro, filme é igual à uma música. Toca alguns, outros, não. Mas, convenhamos, John Green sabe uma boa história.

      Excluir
  2. Tenho uma opinião, totalmente diferente da sua, terminei faz pouco tempo "Quem é Você, Alasca?" e me apaixonei pelos personagens, pela história, e pela Alasca Young, o que torna o livro muito show não é o que Alasca é, mas sim o que ela representa na vida das pessoas ao redor e o impacto da falta dela, não sei como você pode não ter gostado, mas amei o livro, e a história me tocou muito, fiquei naquele "pós-depressão" de final de livro, e amei tanto essa obra, que agora vou ler "A Culpa é das Estrelas".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Samuel.
      Obrigada pela visita e pelo comentário.
      Essa resenha de "Quem é você Alasca?" deu pano pra manga, principalmente por ele ser um livro muito amado.
      Não é que não tenha gostado do livro, gostei da mensagem que ele passa, porém achei todos as personagens muito arrogantes, a minha birra é principalmente com Alasca, mas também não gosto dos outros.
      Não senti isso da falta dela, para mim Miles só queria saber se ela gostava dele e se os dois iriam continuar o que tinham parado.
      Leia "A culpa é das estrelas", esse é o meu livro preferido, e depois passa aqui no blog e fale o que achou.
      Abraço!

      Excluir
  3. Concordo com você Mey,fiquei louca para ler ''quem é você Alasca" esperando sentir as mesmas emoções e sensações que "a culpa é das estrelas" me provocaram, o que não aconteceu.Achei que faltaram diversas coisas, como: caracterizar mais os personagens(não teve muitas informações detalhadas como eles eram fisicamente, o que gosto), achei tbm que os outros personagens encaram o que aconteceu com ela friamente, com sofrimento, mas um ssofrimento frio, pois achei que estavam mais preocupados em saber o mistério do acontecimento (porque ela tinha feito "aquilo").Então ñ pareceu q sofreram tanto, minha opinião! Entre várias outras coisas q ñ me conquistaram. É um livro bom, mas ñ perfeito ou excelente, por isso dou nota 8.
    Aah quero ressaltar que ñ esperava ter neste livro os mesmos tipos de personalidades q encontramos em "a culpa é das estrelas", só queria encontrar a mesma emoção,paixão e sensação que tive quando o li.

    Um beijo,
    Waléria!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Waléria.
      Adorei a sua visita e comentário. Fico feliz com as discussões que essa resenha gera, isso mostra que o livro conseguiu atingir as pessoas de maneira diferente, afinal gosto cada um tem o seu.
      Beijos

      Excluir
  4. Olá Mey,
    Eu ainda não li o livro e acho que a maioria das pessoas vão pensar ''como alguém pode fazer uma crítica de um livro sem ler?''. Pois é, acontece que quando você falou que Alasca Young era uma pessoa horrível e ter um tumor no cérebro não correspondia para isso eu lembrei que no livro ''A culpa é das estrelas'' tem um momento em que Hazel pergunta para Gus de Caroline Mathers (sua ex namorada) e gus fala que Caroline tinha o mesmo tumor que Alasca e que também era chamado de Tumor dos Imbecis porque ele simplesmente transforma a pessoa num monstro. Gus também disse que Caroline estava sempre de mau-humor e infeliz. Oque estou querendo dizer é que talvez Alasca fosse igual Caroline e por isso era insuportável.
    OBS: Quero muito ler o livro pois tenho grandes expectativas sobre ele, assim como As Vantagens de Ser Invisível.

    Abraços, uma leitora de seu blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Victoria,
      Citei isso por achar Alasca tão cruel quanto Caroline, porém ela não tem nenhum tumor para justificar seu jeito de ser.
      Leia e tire suas próprias conclusões e depois passa aqui e me conta o que achou.
      Obrigada pela visita e comentário!
      Beijos

      Excluir
  5. Concordo em partes da sua crítica, eu achei que esse livro já era meio esperado o desfecho e clímax da história, por isso não me satisfez muito. Do John Green, li apenas A Culpa é Das Estrelas e achei alguns detalhes bem parecidos (não sei se todos os livros são assim, mas pode ser uma característica do autor), pretendo ler mais de seus livros e reparar mais nos detalhes. Quanto a Alasca eu achei ela um personagem meio que forçado e a sua bipolaridade é bem irritante mesmo, mas tirando uns e outros o livro é interessante, daria uma nota 7 para ele!
    Parabéns pela sua crítica!
    Beijos, Julia

    ResponderExcluir
  6. Quando li "A culpa é das estrelas", tive a mesma ideia que você, de que todos os livros do John Green seriam igualmente impecáveis. E não me decepcionei. Já li todos os livros dele até agora, e só posso dizer que amei um por um, e "Quem é você, Alasca?" foi o que me trouxe mais impacto, mesmo que não tenha surtado em lágrimas como em A culpa é das estrelas. O ponto é que não fui ler o livro, esperando que tivesse algo a ver com o outro, só por serem do mesmo autor. Discordo muito da sua crítica, porque não vejo de maneira alguma a história tentando ser triste, até porque, John Green sabe como tornar uma história triste, e vimos isso muito bem em ACEDE. A história tenta ser surpreendente, e não falha, trazendo a tona um pouco da realidade em relação a vida, e a morte. Com as tentativas de descobrir "o mistério" em torno do acidente ou suicídio da Alasca, eles descobrem um pouco dela, e seu impacto, viva ou morta à eles. Impacto esse, que de maneira alguma ela forçava. Sua personalidade instável, trazia a tona verdades absolutas. "Você ama a menina que você vê, mas não a que desmorona por dentro, e só traz isso pra fora raramente".Tem ideia do quão interessante isso se torna? Achei "Quem é você, Alasca?" impressionante, cheio de citações fantásticas, e se você procurar enxergar a história de maneira mais clara, talvez até metafórica, se procurar ler as entrelinhas, entenderia. Mas certos livros não são pra pessoas sem uma visão ampla. A propósito, não sei porque colocar um gif ((ainda mais da Nik Minaj)) numa crítica a um livro. É meio idiota, se me permite dizer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vih Almeida.
      Nunca disse que "Quem é você Alasca?" é um livro ruim, só disse que não gostei. Na verdade na minha avaliação do skoob dei 3 estrelinhas para ele, sendo que grande parte dos livros que eu mais gosto eu dou 4.
      Consigo entender toda a metáfora e lição de vida que o John quis passar, felizmente sou boa em interpretação de texto. Porém acho que a leitura tem muito a ver com o envolvimento, gosto de me envolver com as personagens e isso, infelizmente, não aconteceu com esse livro. Me senti isolada da estória, apenas observando pessoas arrogantes e com complexo de superioridade.
      Não esperava um livro igual a "A culpa é das estrelas", mas sim a mesma complexidade das personagens. Já li todos os livros do John Green e gostei deles, o único que tive esse problema, foi o da Alasca.
      Por já ter lido todos os livros do autor percebi que ele tem sim um formato, você também teve essa impressão, Vih?
      Agora a questão do GIF é meramente ilustrativa, não o escolhi por ser a Nik Minaj ou se fosse de qualquer outra pessoa, escolhi porque é basicamente essa sensação que sinto quando leio sobre Alasca. Sinto muito se para você pareceu algo idiota, mas gosto de GIF, acho que ele serve para descontrair postagens que algumas vezes são pesadas. Tal como essa.
      Obrigada pelo comentário, volte mais vezes.
      Abraço

      Excluir
  7. O livro simplesmente é adorável, adorei os personagens até me identifiquei com o Miles, sinto muito por você não ter gostado tanto dos personagens, adorei seu comentário no post com relação ao livro parecer com As vantagens de ser invisível, cheguei ao ponto em parte no livro que tive a mesma opinião. O caso é que de todos os livros do Green ACEDE é o livro mais "diferente" entre todos os outros dele.

    ResponderExcluir
  8. Eu adorei os personagens! De verdade, achei eles bem reais mesmo, como se a gente pudesse encontrá-los na escola, no shopping ou sei lá. Mas eu acho que o Green domina todos os estilos de livro que ele já escreveu! Todos são muito bons mesmo!

    http://not-anerd.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Eu amei o livro e me apaixonei pela Alasca, foi a personagem que mais amei em um livro, é até estranho, mas não consigo tirar Alasca da minha cabeça. Teve momentos que também cheguei a odiá-la, mas no fim você percebe que apesar de tudo ela era uma criança, ela se dizia forte e independente, mas precisava de um abraço, de um consolo, de uma palavra amiga, e como o Miles disse, de amigos melhores, ela precisava ouvir palavras duras, palavras essas que o Miles nunca teve coragem de dizer.
    Esse livro me fez (mais uma vez) perceber o quanto somos insignificantes, eras irão se passar e nossa existência sera apagada, haverá um tempo que ninguém se lembrará nós, nem das pessoas que um dia amamos, e isso é um pouco triste.

    ResponderExcluir
  10. Achei sua critica superficial. Pelo que li, interpretei e senti, posso afirmar que a Alasca não é nenhum tipo de megera.Deve-se entender que a sua vida nunca cheirou a rosas, e sim a tristeza. Ela teve e levou até a adolescência um trauma seríssimo de infância, difícil de ser superado, e até impossível as vezes. Normalmente, pessoas traumatizadas, e q beiram a depressão tendem a ter uma bipolaridade e a uma tristeza profunda, que as vezes o individuo esconde com atitudes um tanto extravagantes. Alasca foi levada um caminho de tristeza, e Miles o conheceu.

    ResponderExcluir
  11. Procurar "A culpa é das estrelas" em todas as obras de John Green, é seguir em caminho a frustração e decepção. Cada livro tem um contexto, embora haja semelhanças em alguns personagens. Ler cada livro assimilando o que ele passa é muito mais prazeroso. Certamente nos apaixonamos por uns personagens, somos indiferentes a alguns e odiamos outros. Mas o interessante de tudo isso é que podemos refletir pra tentar entender o quanto da gente tem em cada personagem. Até o momento gostei de todos os livros de John que li.

    ResponderExcluir
  12. Olha, também tenho uma opinião totalmente contrária à sua sobre o livro "Quem é você Alasca?".
    Terminei o livro em pouquíssimo tempo, pois ele me envolveu de uma maneira fantástica!
    Nesse livro o John Green faz uma abordagem diferente, ele não mostra personagens "inocentes" como no livro "A culpa é das estrelas", que eu também amei. Mas sim personagens adolescentes, como a maioria de nós.
    Os dois livros me emocionaram, mas no Quem é você Alasca? eu senti todo o que o Miles, o Capitão, e os outros sentiam. Tive uma depressão pós morte da Alasca.
    Devo também destacar o fato de que eu já sabia o final do livro, mas mesmo assim achei ele perfeito. Na verdade eu já sabia o final dos dois livros (spoilers --').
    Espero que goste da minha opinião !

    ResponderExcluir
  13. o livro é incrível, john Green é um gênio,eu lí esse livro em dois dias é quase impossível conseguir parar,é bastante instigante e misterioso,eu super recomendo,o final pode não ser agradável,mas o livro em sí é ótimo,muito bem elaborado digno de um escritor do porte dele,esse livro ganhou espaço como um dos meus preferidos assim como "a culpa é das estrelas"e etc.(vocês precisam ler!!!)

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Amigos, eu li o livro, mas o autor não respondeu uma pergunta: COMO ERA A ALASCA? Por exemplo, o máximo que eu lembro dele ter citado, é sobre os seios, a silhueta e os olhos dela. Eu já procurei em TODOS OS SITES, e não achei, afinal: QUAL ERA A COR DO CABELO DELA? Eu vi no wikipédia que era castanho escuro, mas no livro ele não fala isso. Alguém aí se recorda das características da Alasca? Grato!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os cabelos dela chegavam a cobrir os olhos (verdes, por sinal) e era realmente castanho escuro. O livro cita isso sim senhor! Devia prestar mais atenção quando leu o livro, obrigado por nada.

      Excluir
  16. Até que enfim achei alguém que concorda comigo, todas as minhas amigas me mandaram lê-lo e eu me decepcionei profundamente. Não sei de qual personagem eu gostei menos: da Alasca ou da Margo (de cidades de papel). E A Culpa é das Estrelas é PERFEITO. Hazel vai ser sempre a melhor mesmo <3

    Beijos
    www.travelingbetweenpages.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Cara, eu não acredito que eu encontrei algúem com amesma opinião que eu o.O
    Foi tanto alarde sobre acede e john green e tals que eu decidi ler todos os livros deles em ordem de publicação, já que todo mundo dizia que acede era mto pfto e outros não tanto assim, e sinceramente? eu ODIEI qévcAlasca, que vaaca, isso tbm pode ter haver por eu ja saber que ela ia morrer e não querer me apegar, mas msmo assim, o unico personagem que eu gostei foi o coronel; e como vc eu tbm tentei gostar, eu ficava tipo "todo mundo chorou nessa parte, pq não to chorando?" Mas enfim, fui pros proximos, e agora to lendo Will&Will, e só posso dizer a cada livro o nivel melhora, agora meu preferido e cidades de papel, vamos ver quando eu terminar esse e enfim chegar em acede.
    sim eu odiei a alasca e achei a margo legal, estranho? mas eu acho super compreensivel

    ResponderExcluir
  18. As pessoas vivem cometendo o erro de julgar um livro por seu protagonista, ou por determinado personagem. Você diz que achou o livro bem escrito, mas que não gostou por não se envolver com os personagens, certo? Talvez você não devesse amar ou odiar a Alasca, mas apenas ler e perceber o impacto dela na história e nos personagens. Gostar de alguém é a coisa mais relativa que existe, por isso sugiro que foque menos as resenhas nisso. Qual é o mal em ODIAR uma protagonista que deveria ser A personagem perfeita? Até que ponto isso é ruim? Pode tornar o livro incrível. Eu odeio a Katniss e vejo pessoas babando nela, porém amo Jogos Vorazes e reconheço o brilhantismo da história e é por isso que gosto do livro, assim como você diz reconhecer todo o significado metafórico e analise da vida que "Quem é você, Alasca?" propõe. Bom, é isso, espero que releia esse livro um dia e que você permita que ele tenha o impacto certo sobre você, apesar de não ter gostado da Alasca :) Se não, sem problemas né? Afinal, a opinião é sua!

    ResponderExcluir
  19. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  22. Adoro quando dizem que um livro não é bom e explicam os motivos, primeiro que não acho o John Green o best dos best mas eu gosto de suas obras, se quiser um romance quase prefeito se deve ler Nicholas Sparks não que sejam ruim já que sou apaixonada por ele. Adorei a sinceridade e a explicação do porque essa mania de puxar saco e tal as vezes nos vedam os olhos a ponto de acharmos que sempre vai ser boa qualquer leitura, acho toda literatura válida entretanto nem todas me agradam 100%. Parabéns
    Adrielli Oliveira
    loading1blog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. " Além disso tem a questão de ela ser bipolar, ao mesmo tempo que está bem, ela está chorando e pisando nos outros, é muito maluca! E mesmo tendo seus problemas pessoais, acho que suas atitudes não são justificaveis, e ela nem mesmo tem um tumor no cérebro para mudar sua personalidade, ela é uma megera, sem fazer esforço."

    Ninguém é obrigado a entender o que uma pessoa BIPOLAR passa, o sofrimento e a falta de controle, Um tumor no cérebro desestrutura qualquer um, deprime, mas nao muda personalidade... o transtorno bipolar eh um disturbio organico e emocional, nas crises ele domina sim grande parte das atitudes da pessoa e muda a personalidade... um bipolar em crise eh extremamente impulsivo e incontrolável... A pessoa tem extremos de humor que sugam tudo dela, trazem muita dor e muita culpa.
    Você, claro, tem todo direito a essa opinião. Mas pense no quanto ler isso machuca quem luta diariamente contra essa doença, como se fosse uma escolha ser assim.
    No mais, otima postagem!
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  25. Oi .... beleza?
    eu vou começar com aquela frase clichê eu respeito a sua opinião, mas...

    Li ambos os livros que citou e ao meu ver John Green realmente não teve pretensão de criar uma atmosfera triste nem de repetir a personalidade dos personagens. Conhecemos a Alaska pelo olhar do Miles, ou seja nós não a conhecemos realmente ela também se torna a nossa icognita. E o que dizer? Ao seu ver ela é uma megera arrogante, novamente discordo. O autor não representou um personagem com esteriotipo de heroísmo da menina que apesar de tudo se mantém sempre forte, feliz e pronta a ajudar o próximo, alias o autor que busca fazer isso, e faz, é o José de Alencar em Til e o Jorge Amado em capitães de areia, apesar que é uma bobagem comparar esses personagens porque a Alaska tinha um diferencial, ela era sua maior carrasca. Entāo concordo que ela tinha um lado arrogante, lado esse que não se achava ser merecedora do perdão. Ela realmente muda de humor e faz coisas erradas, e quantas pessoas você conhece que é sempre o mesmo?
    Mas no final de tudo a Alaska não queria ser justificada ela simplesmente sentia e ponto. Quem sou eu pra jugar a sua dor? No fim como Miles fiquei com a sensação de incompletude aquele desejo de vê-la junto a eles no final do livro.
    Tchau!!
     

    ResponderExcluir
  26. Olá, Mey. Boa noite! Senti exatamente a mesma coisa lendo esse livro e te digo: se quiser se apaixonar louca e perdidamente por exatamente TUDO que um autor escreve, leia Jostein Gaarder. Ele é um autor norueguês e seu livro mais famoso é O mundo de Sofia, que todo mundo ama, mas eu não curti muito, talvez por esse fato de todo mundo o amor tanto assim hehe. Sou meio às avessas. Dicas especiais dele: O dia do Curinga e A garota das laranjas. Ambos DEMAIS!

    ResponderExcluir
  27. Meu livro Mistério No Alasca, uma visão diferente de tudo que já leu, a venda on-line

    ResponderExcluir
  28. entendo sua opinião sobre o livro, eu tive essa mesma opinião quando li, mas com sorte, comprei a edição comemorativa de 10 anos. Mas quando li as respostas de John Green às perguntas dos fãs, meu pensamento pela Alasca mudou muito, principalmente o modo em que Miles pensa sobre a mesma, ele sempre romantiza tudo e um narrador apaixonado não é muito confiável.

    ResponderExcluir

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo