08 junho 2015

Resenha: Harry Potter e Câmara Secreta

E quando a continuação de um livro consegue ser tão incrível ou até mesmo melhor do que o outro, é algo que deve ser respeitado e é algo que muitos autores devem imitar. Assim é o genial "Harry Potter e a Câmara Secreta" de J.K. Rowling.



Sinopse: "Harry Potter sonha em voltar para Hogwarts durante as férias, mas recebe a vista do elfo doméstico Dobby, que tenta impedi-lo de partir. A viagem acidentada até Hogwarts é só um prenúncio do segundo ano de estudos de Harry. Na escola, estudantes são petrificados e Harry se torna um dos suspeitos. Quem estaria por trás dessa ação aterrorizante?"

Se você já se vê apaixonado por toda magia de Harry Potter, após ler "A Pedra Filosofal" vai se apaixonar mais ainda por aquele mundo mágico quando ler "A Câmara Secreta". No segundo volume da série novas criaturas fantásticas nos são apresentadas e junto com Harry vamos descobrindo mais coisas sobre o mundo bruxo.

No segundo livro todo aquele clima extrovertido aos poucos vai ficando menor para dar lugar a uma atmosfera sombria. Depois que Harry conseguiu sobreviver a mais um ataque de Lorde Voldemort ele tem que voltar para a casa dos seus tios trouxas e fingir que não conhece o mundo bruxo. Sério, que tem hora que acho que o menino prefere enfrentar Voldemort e criaturas assustadoras do que passar o verão na casa dos Dursley, e com razão porque é um inferno a vida que ele leva no lugar. Os capítulos das férias de verão sempre me deixam um pouco depressiva, acho as coisas que Petúnia, Walter e Duda fazem com Harry muito cruéis.

Enquanto Harry tenta sobreviver aos dias de inferno na casa dos tios um pedaço do mundo dos bruxos lhe faz uma visita. Adoro o primeiro contato de Harry com Dobby e desde a primeira vez me encantei pelo pequeno elfo doméstico. A cena em que ele tenta convencer o menino a não voltar para Hogwarts  é uma das mais hilárias de todas.

Harry tenta a todo custo conseguir chegar a escola de magia, mas sempre tem algo que tenta impedi-lo e quando consegue chegar não é muito diferente no local. Coisas estranhas acontecem na escola e ele se vê em meio a um mistério. Nascidos trouxas começam a ser atacados na escola e parece que um mostro adormecido nas profundezas de Hogwarts foi despertado para expurgar a raça das salas de aula.

Em meio a toda essa tenção temos o alívio cômico do novo professor de Defesa Contra as Artes das Trevas, Gilderoy Lockhart , que é uma celebridade dos bruxos. Temos também a chorosa fantasma do banheiro feminino, Murta Que Geme. Com essas duas personagens temos um pouco de diversão, nos libertando da tensão dos ataques na escola.

Quando estiver lendo qualquer livro de J.K. Rowling tem que prestar atenção a todos os detalhes, a autora nunca dá uma informação que não será relevante. Os livros de HP geralmente são cheios de mistérios, então algumas pistas do que está acontecendo pode estar no livro, ou até mesmo no livro anterior.

Falando em escrita, preciso comentar que a autora faz um ótimo trabalho no desenvolvimento de suas personagens. Ela consegue mostrar a evolução de cada um o que é maravilhoso. Gosto também da sua capacidade de criar personagens muito bem construídos e cheios de camadas. Apenas fiquei um pouco decepcionada com o desaparecimento de Snape neste segundo livro, já que no primeiro o professor é muito mais presente na estória.

O fechamento do segundo livro é incrível, desde a batalha que Harry tem que enfrentar o mostro que petrifica alunos trouxa até a libertação de uma personagem muito legal. Acho que "A Câmara Secreta" é o começo das trevas na estória, acho que daqui pra frente teremos momentos tensos para o bruxinho.

Até o próximo post!

2 comentários:

  1. Gostei muito do teu blog!
    Se puderes vista o meu e se gostares segue...se seguires deixa comentário :)
    Beijinhos

    http://beautifullsecrets.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Ótima crítica! Amo Harry Potter e J.K me inspira. *O*

    ResponderExcluir

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo