24 março 2014

Resenha: O Grande Gatsby

Para iniciar as resenhas de clássicos aqui no blog, como já disse anteriormente esse ano vou ler mais esses livros. O primeiro dessa leva, é daqueles livros que mesmo antes de ler eu já sabia que ia entrar para os favoritos. "O Grande Gatsby" me conquistou em sua versão cinematográfica de 2012 (já falei dela aqui),  me encantei pela estória do misterioso Jay Gatsby.


Sinopse: "O Grande Gatsby é o romance americano definitivo sobre os anos prósperos e loucos que sucederam a Primeira Guerra Mundial. O texto de Fitzgerald é original e grandioso ao narrar a história de amor de Jay Gatsby e Daisy. Ela, uma bela jovem de Lousville e ele, um oficial da marinha no início de carreira. Apesar da grande paixão, Daisy se casa com o insensível, mas extremamente rico, Tom Buchanan. Com o fim da guerra, Gatsby se dedica cegamente a enriquecer para reconquistar Daisy. Já milionário, ele compra uma mansão vizinha à de sua amada em Long Island, promove grandes festas e aguarda, certo de que ela vai aparecer. A história é contada por um espectador que não participa propriamente do que acontece - Nick Carraway. Nick aluga uma casinha modesta ao lado da mansão do Gatsby, observa e expõe os fatos sem compreender bem aquele mundo de extravagância, riqueza e tragédia iminente."

A obra de Fitzgerald, não é rebuscada ou extensa, pelo contrário, ela é enxugada e de fácil entendimento. Me deliciei pela escrita do autor, que te envolve com todos os mistérios, e devorei "O Grande Gatsby", como se fosse um best-seller que leio em apenas 1 dia.

O talento do autor não fica apenas em criar estórias, mas em formar personagens, eles são todos bem construídos . Me encantei por eles, mas principalmente pelo Gatsby, ele tão apaixonado, desejando eternamente aquele amor de verão, buscando maneiras de ser digno de Daisy, é tudo muito lindo, ele foi morar no meu coração. E por amar ele demais, odeio a Daisy (Tipo Bentinho e Capitu) e adoro Nick Carray, por entender verdadeiramente o seu misterioso vizinho.

Os anos 20 com todos seus excessos e glamour são muito bem retratados no livro. Porém Fitzgerald também mostra toda a solidão e futilidade por trás das festas grandiosas e vidas glamourosas. Todos aceitavam Gatsby, por ele dar festas inesquecíveis, mesmo quando haviam boatos ruins sobre suas ações, mas ninguém se importava verdadeiramente com o anfitrião,bastava boa música e taças cheias, para que se esquecessem de tudo.

Outro detalhe que gosto demais são os olhos do doutor T.J. Eckleburg, como se fosse aquele que tudo vê. Acho uma bela metáfora para a imagem de Deus, que assiste aos acontecimentos  e sabe a realidade dos fatos. Vendo o comportamento de todas as personagens da estória

Não é atoa que "O Grande Gatsby" se tornou tão famoso e perdura até os dias de hoje, Fitzgerald fez um retrato fiel da sociedade da época e sua crítica é extremamente atual, é uma obra que vale a pena ser lida várias vezes. 

P.S: Continuo afirmando que Leonardo DiCaprio é o Gatsby!

Boa Leitura!
Até o próximo post!






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo