10 março 2014

Resenha: Em Chamas

Resenha de hoje é do meu livro preferido da trilogia THG, porque é em "Em Chamas" que a coisa começa pegar fogo (o nome já diz tudo), inclusive foi por causa dele que resolvi reler a série e fazer resenha aqui.


Sinopse: Depois da improvável e inusitada vitória de Katniss Everdeen e Peeta Mellark nos últimos Jogos Vorazes, algo parece ter mudado para sempre em Panem. Aqui e ali, distúrbios e agitações dão sinais de que uma revolta é iminente. Katniss e Peeta, representantes do paupérrimo Distrito 12, não apenas venceram os Jogos, mas ridicularizaram o governo e conseguiram fazer todos - incluindo o próprio Peeta - acreditarem que são um casal apaixonado. A confusão na cabeça de Katniss não é menor do que a das ruas. Em meio ao turbilhão, ela pensa cada vez mais em seu melhor amigo, o jovem caçador Gale, mas é obrigada a fingir que o romance com Peeta é real. Já o governo parece especialmente preocupado com a influência que os dois adolescentes vitoriosos - transformados em verdadeiros ídolos nacionais - podem ter na população. Por isso, existem planos especiais para mantê-los sob controle, mesmo que isso signifique forçá-los a lutar novamente.


A capa de "Em Chamas" é ainda melhor do que a de "Jogos Vorazes", ela dá uma leve pista do que será a estória. Temos um torda em um a mira, não um tordo de metal dourado, mas um tordo real. Katniss é o tordo, que está na mira da Capita, isso é genial.

Como já disse acima, o feito de Katniss na arena do último Jogos desencadeou uma série de rebeliões nos outros distritos. A garota é vista como o símbolo da revolução tanto para os moradores dos distritos, quanto para o presidente Snow. Para que tudo isso acabe ela tem que provar que está loucamente apaixonada por Peeta Mellark, e que a tentativa de suicídio com as amoras não foi uma afronta ao governo.

Em meio a todos os problemas com a Capital, Katniss está confusa, não sabe se sente falta do companheiro de arena ou se está apaixonada pelo amigo Gale. Muita gente acha esses pensamentos da garota em chamas, algo egoísta, porém eu acho plausível, afinal ela só tem 17 anos. As pessoas esquecem que a protagonista desse livro é apenas uma adolescente, que até ter que enfrentar a maldade do governo.

Saibam que não defendo totalmente a Katniss, concordo que em alguns momentos ela é egoísta, não se importa com os outros, principalmente com o filho do padeiro. Ela só pensa em seus próprios sentimentos, nas suas decisões e em pagar suas dívidas, excluindo Peeta de tudo, criando uma ideia contrária do que ele é. Fora que ela não pensa na rebelião, ela só pensa em salvar a quem ama.

Se no primeiro livro eu já era encantada por Peeta Melark, agora me encantei de vez, a nossa donzela em perigo é tão amável, bondoso e carismático, que não tem como não se apaixonar. Na minha humilde opinião, ele deveria ser o Tordo, com seus discursos maravilhosos e suas sacadas geniais, ele seria o rosto da revolução.

Como forma de acabar com Katniss o presidente resolve realizar "O Massacre Quartenário", enviando os vencedores de jogos anteriores de volta a arena. E nesse contexto surgem duas novas personagens tão incríveis quanto o garoto do pão: Finnick Odair e Johanna Mason. MEUDEUS! o que são esse dois, eles foram um  ótima adição.

O Massacre também é incrível, o formato da arena, as armadilhas, os tributos. Fiquei com uma baita inveja da imaginação de Suzanne, tudo está impecável. E as suas descrições nos fazem criar perfeitamente os cenários.

As críticas sociais e políticas vem ainda mais inflamadas em "Em Chamas". As tentativas do governo de acalmar os ânimos de todos, as distrações, a tentativa de apagar o rosto da revolução. Isso é real, não é apenas uma ficção. Nessa segunda parte Susanne Collins mostra mais ainda a realidade gritante de governo totalitaristas, manipulação de massas, obsessão pela carnificina.

"Em Chamas" acaba de uma forma que nos faz querer ler "A Esperança" imediatamente. E deixa um rastro de fogo para um final explosivo.


Boa Leitura!
Até o próximo post!

2 comentários:

  1. Em chamas, é o melhor livro da trilogia e concordo com o termo que você colocou na Katniss, ela é egoísta e tá pouco se lixando pra rebelião ela só quer salvar a si mesma, mas não é assim que é a lei da vida ? Salvar primeiro a si, e quem ama, e só depois pensar no próximo ? Acredito que é por isso que ela faz tanto sucesso, e tem tantos fãs, mesmo tendo essa personalidade. E se prepara que em A esperança as coisas só pioram, se já leu, entenderá. Se ainda não leu, se prepara, que o livro é de tirar o folego.
    Beijos,
    Parabéns pela resenha
    http://migre.me/huvJU

    ResponderExcluir
  2. Em Chamas é um livro avassalador, mas não consigo torná-lo o melhor da série, talvez porque Jogos Vorazes tem o impacto da "descoberta", do início de uma "paixão" por uma série. Sem dúvida é de tirar o fôlego, li o livro loucamente, falando sozinho e querendo mergulhar de corpo e alma nas páginas.
    Que bela enrascada Katniss e Peeta se meteram, o que era antes uma tentativa de SE salvarem, agora tornou-se a faísca de uma revolução. Realmente Finnick e Johanna foram boas adições, mas todos os outros campeões que estão ao lado do casal "pega-fogo" foram incríveis para deixar a história com mais adrenalina e surpreender o leitor no final.

    Como vai, liberdade?

    ResponderExcluir

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo