07 setembro 2015

Resenha: O Bicho-da-Seda

Adoro romances policiais, desde quando era bem novinha, fico fascinada por todo o mistério da trama e devoro as páginas tentando desvendá-lo. O problema de ficar muito envolvida só acontece no caso do livro ter mais de 400 páginas, você quase morrer de ansiedade esperando a revelação final e ela acontecer só nas últimas 20 páginas. Foi exatamente isso que aconteceu com "O Bicho-da-Seda".


Sinopse: "O detetive Cormoran Strike retorna no novo mistério de Robert Galbraith, autor do best-seller internacional 'O Chamado do Cuco'. Quando o escritor Owen Quine desaparece, sua esposa vai a procura de Strike. De início, a Sra. Quine pensa que seu marido apenas se afastou por conta própria, por uns dias — como já tinha feito antes — e ela pede a Strike para que o encontre e o traga para casa. Mas conforme Strike investiga o caso, se torna claro que há mais no desaparecimento de Owen do que sua mulher pensa. O escritor havia terminado um manuscrito contendo descrições venenosas de quase todos que conhecia. Se o livro fosse publicado, poderia arruinar vidas: o que significa que existiam várias pessoas que poderiam querer silenciá-lo. Quando Quine é encontrado brutalmente assassinado em circunstâncias bizarras, a investigação se torna uma corrida contra o tempo para entender a motivação de um assassino impiedoso, um assassino como Strike nunca havia visto antes."

Para quem achou que a vida do Strike estaria bem melhor do que em "O Chamado do Cuco" se enganou, ele continua morando no escritório, a perna ainda lhe causa muita dor, sua ex (FDP) ainda o provoca e sua situação financeira não é das melhores. Mesmo após desvendar o mistério de Lula Landry os clientes que vem em busca de seus serviços serão casos excepcionais ou cheios da grana, mas não é bem isso que acontece o detetive está seguindo infiéis, quando uma mulher pobre solicita por seus serviços para encontrar o marido desaparecido.

Na primeira parte do livro Cormoran acredita que Owen Quine, apenas fugiu da vida de casado por um tempo, até mesmo a esposa dele pensa nisso, mas aos poucos o caso vai se tornando mais macabro e misterioso. Em "O Bicho-da-Seda" o crime retratado é assustador, sério, de revirar o estômago, impressionante como J.K Rowling consegue ser "perversa" quando é Robert Gailbraith.

Gosto muito da maneira com que o mistério da estória é sendo desvendado aos pouco, são pequenas doses de informação até juntas formarem todo o desfecho. Nesse caso tudo é muito difícil de se revelar, porque todos são suspeitos e Owen Quine não era muito querido, o que aumentam as possibilidades.

O que eu mais gosto de Cormoran Strike pelo fato dele não ser apenas o detetive incrível, mas também ser um ser humano com problemas, a falta de dinheiro, os problemas com a ex, a perna amputada e o medo de se envolver com sua assistente. Essa sua faceta é mostrada paralelamente com sua genialidade em desvendar casos. Além do gigante detetive eu também adoro Robin, ela é o Watson feminino mais divertido e encantador. Nesse livro ela tem um papel maior nas investigações. Gostei muito do "autor" mostrar o dilema dela entre a vida pessoal e o sonho profissional.

"O Bicho-da-Seda" é um bom livro para os fãs de romances policiais e um puta livro para quem gosta de ler, afinal os envolvidos na trama são todos do meio editorial e a estória começa por causa de um livro. 

Eu já havia gostado de "O Chamado do Cuco" e tinha certeza que J.K havia mostrado a que veio, mas depois desse livro eu já virei fã de Robert e de Strike.

Até o próximo post!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo